EnglishFrenchItalianPortugueseSpanish

CULTURADOAM

Caprichoso e Garantido arrebatam público na segunda noite do 55º Festival Folclórico de Parintins

Terceira e última noite do evento acontece neste domingo (26/06), a partir das 20h, com transmissão pela TV e internet

Fotos: Michael Dantas/Secretaria de Cultura e Economia Criativa

A segunda noite do 55º Festival Folclórico de Parintins trouxe duas apresentações apoteóticas dos bumbás Caprichoso e Garantido, no sábado (24/06), na arena do Bumbódromo. Realizado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, o evento apresentou a tradição folclórica e a luta pelos direitos dos povos originários como destaques da noite.

O secretário de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz, ressalta a qualidade da arte produzida pelos artistas parintinenses do bumbás Caprichoso e Garantido.

“A gente vê uma tecnologia incrível no movimento das alegorias, nas articulações, que eles aplicam. Na qualidade das pinturas e esculturas e, também, daqueles que fazem toda parte cênica. Todos estão de parabéns”, elogia o secretário.

Caprichoso

Fotos: Michael Dantas/Secretaria de Cultura e Economia Criativa

O Caprichoso foi o primeiro a se apresentar e a identidade cabocla foi homenageada pelo Touro Negro, que ressaltou na arena o respeito e a simbiose entre os caboclos e a floresta, em sua figura típica regional. Voos em drones e muito show no ar, fizeram a galera delirar.

“A gente usa a tecnologia para fazer a manutenção da nossa tradição. Para melhor contar as nossas histórias. Se nós temos condições de fazer voar na arena, nós vamos fazer”, comenta o presidente do conselho de arte do Caprichoso, Erick Nakanomi.

Outro ponto alto da apresentação foi a lenda amazônica – “Os trilhos da morte”, que interagiu com a galera azulada e impressionou o público com a narrativa da construção da ferrovia Madeira-Mamoré, no início do século 19, em Rondônia. Os fantasmas da ferrovia invadiram as arquibancadas, levantando a galera do boi azul.

Garantido

Fotos: Michael Dantas/Secretaria de Cultura e Economia Criativa

O Garantido encerrou a segunda noite com o protagonismo negro na região norte, apresentando a diáspora negra na Amazônia e o movimento da Cabanagem na região do Grão-Pará. A figura típica entrou na arena com oito módulos de até 18 metros de altura. O protagonismo negro também foi representado pelo levantador de toada, Edilson Santana.

“Nosso espetáculo é como a baixa do São José, é no chão, na terra de Parintins, ancorado no solo sagrado dessa ilha”, declara o membro da direção geral de espetáculo do Garantido, Mencius Melo.

Xandoré e Ticê, lendas da etnia tupi-guarani entraram com imponência no Bumbódromo. O boi vermelho e branco contou que Xandoré era a personificação do ódio, inveja e rancor.

Enquanto Ticê era uma poderosa mulher capaz de enganar maus espíritos e proteger outras mulheres, inclusive grávidas. A toada composta por Ronaldo Barbosa Jr. pede que as mulheres clamem a Ticê.

Última noite do Festival

Fotos: Michael Dantas/Secretaria de Cultura e Economia Criativa

O Festival Folclórico de Parintins finaliza sua 55ª edição neste domingo (27/6) e, desta vez, o Garantido inicia a festa do folclore parintinense, na arena do Bumbódromo, a partir das 20h.

O público que não conseguiu ir para o festival, na Ilha da Magia, tem um espaço no Largo São Sebastião, em Manaus, que transmite a emoção do espetáculo ao vivo.

A ação inédita do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa e Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC), acontece neste domingo. As transmissões, que fazem parte do projeto “Circuito +Cultura”, iniciam 30 minutos antes do espetáculo em Parintins.

Você pode gostar