EnglishFrenchItalianPortugueseSpanish

CULTURADOAM

Conselho Estadual de Cultura realiza 1ª Reunião Ordinária após ser reativado

O Conselho Estadual de Cultura (Conec) realizou, nesta sexta-feira (04/02), a 1ª Reunião Ordinária após a reativação do órgão colegiado. Os novos conselheiros participaram da sessão de forma híbrida, on-line e presencial, no Centro Cultural Palácio da Justiça, Centro. A definição dos representantes do Conec no Conselho de Patrimônio Histórico e Artístico do Amazonas (Copham), e a criação de câmaras técnicas e comissões especiais de cultura estão entre as pautas discutidas.

Com as atividades paralisadas há 10 anos, a nova formação do Conec tem entre suas missões, a de construir o Plano Estadual de Cultura. O processo eleitoral para o mandato 2021-2023 aconteceu no final de outubro 2021 e elegeu representantes dos segmentos de Teatro, Dança, Circo, Música, Literatura, Artes Visuais e Novas Mídias, Audiovisual, Cultura Popular de Matriz Ibérica, Cultura Indígena, Cultura Afrodescendente, Folclore e Carnaval. 

Para a primeira reunião, a presença dos titulares e suplentes foi requisitada pelo presidente do Conec, o secretário de Estado de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz. O presidente conduziu a reunião e apresentou a pauta do dia.

“Era uma determinação do governador Wilson Lima a reativação do Conselho, que estava com as atividades paralisadas há uma década. A definição das políticas públicas do setor de Cultura e Economia Criativa e a implantação do Sistema Estadual de Cultura estão entre as nossas primeiras missões. Essa primeira reunião foi realmente de alinhamento, para que possamos trabalhar e conquistar esse objetivo”, concluiu Marcos Apolo.

Resoluções – Para assumir a vaga de representante do Conec no Copham, foram eleitos o conselheiro de Cultura Afrodescendente, Wellison Batista, como titular, e a conselheira de Teatro, Jordânia Galdino, como suplente. 

O colegiado ainda discutiu a criação de câmaras técnicas e comissões especiais que vão discutir as propostas de políticas públicas para cada segmento cultural. “Como somos conselheiros temos uma tarefa muito árdua, temos que pensar uma forma de desburocratizar os projetos, para fazer o trabalho de formação de agentes culturais do interior e periferia”, disse a conselheira Jordânia, durante a reunião desta sexta.

Outra definição do colegiado foi o calendário de reuniões ordinárias que preveem encontros mensais até o mês de dezembro. A próxima reunião está programada para o dia 16 de março.

Você pode gostar