CULTURADOAM

Curumim segue para última apresentação no 25º Festival Amazonas de Ópera e divulga nova data no Teatro Amazonas

O musical infantil retorna ao palco, desta vez do centenário Teatro Amazonas, no dia 7 de junho, sempre com entrada gratuita

O espetáculo “Curumim, o Último Herói da Amazônia em busca da flor da vida” encerra a temporada no 25º Festival Amazonas de Ópera (FAO) com apresentação neste domingo (28/05), às 16h, no Teatro da Instalação. Com o sucesso de público, o espetáculo ganha uma nova apresentação no dia 7 de junho, às 20h, no Teatro Amazonas. A informação foi passada durante o encontro entre elenco e alunos da rede estadual de ensino, que aconteceu na última quarta-feira (24/05), no Teatro da Instalação.

O festival de ópera amazonense é uma realização do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e da Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC), com patrocínio master do Bradesco e apoio cultural do Grupo Atem e da Companhia de Gás do Amazonas (Cigás), além da aprovação na Lei de Incentivo à Cultura.

No FAO, o musical infantil segue cumprindo a agenda, tendo dois espetáculos já realizados no Teatro da Instalação, todos com casa cheia. A história escrita nos anos 80 pelo jornalista e cartunista amazonense, Mario Adolfo, carrega traços naturalmente contemporâneos ao abordar valores culturais e sociais, além de reconhecer a importância da preservação da natureza. Mario não esconde o orgulho de ter o personagem inserido na programação do maior festival de ópera da América Latina.

“O processo criativo já é um sonho, que se transforma em realidade, no papel, desenhando ou filmando. Eu tive muitos sonhos, com animação, teatro, mas em ópera nunca tinha pensado, o que me deixou muito orgulhoso”, destaca o escritor.

Para se aproximar ainda mais do público, um bate papo foi realizado entre alunos da Escola Estadual Princesa Isabel e parte do elenco e direção de Curumim, no Teatro da Instalação. Participaram do encontro, além de Mário Adolfo, a diretora cênica, Socorro Andrade, os atores Cauê Brito, Giovanna Ledo e Roque Baroque, que interpretam “Marquinhos”, “Murupi” e “Pajé”, respectivamente.

Entre muitas curiosidades sobre a origem do Curumim, o processo de criação dos demais personagens, inspiração, tempo de produção e ensaios, os estudantes participaram ativamente do encontro.

O estudante Felipe Alexandre, 10, foi além e sugeriu a produção de um filme. “Eu perguntei se poderia se tornar um filme de cinema, porque é importante salvar a natureza e isso todo mundo tem que saber”. E o estudante acertou. Este é o próximo passo que Mário Adolfo pretende dar com o Curumim: “Agora vou em busca de um filme, não com esta história, mas com outra, porque o Curumim é um personagem muito forte, de expressão de massa, de comunicação. Ele tem a cara de Manaus e uma identidade muito forte com a Amazônia e a defesa do meio ambiente. O momento para ele crescer é agora”, assegura Mario.

No Teatro Amazonas

Com o sentimento de dever cumprido, a diretora cênica Socorro Andrade comemora o sucesso do espetáculo. “O empenho foi de toda equipe do festival de ópera, do elenco e do Liceu Claudio Santoro que participou ativamente desse processo e estamos muito agradecidos pelo Curumim ter nascido dentro do festival”, comemora Socorro.

O sucesso da montagem também é reconhecido pela secretaria de Cultura, que após o encerramento da temporada do FAO, garantiu que o Curumim de Mário Adolfo retorne ao palco, desta vez no Teatro Amazonas, no dia 7 de junho, às 20h. “Foi uma grata surpresa saber que, em breve, estaremos no palco do Teatro Amazonas, apresentando de novo o nosso herói da Amazônia. Todos estão convidados”, finalizou a diretora.

O espetáculo tem entrada gratuita nos dois espaços culturais em cartaz, no Teatro da Instalação, dia 28 de maio e, no Teatro Amazonas, dia 7 de junho. Participam os atores da Cia Metamorfose, o coral infantil e o balé do Liceu de Artes e Ofício Claudio Santoro, a Orquestra de Violões com regência de Davi Nunes.

Bradesco e a cultura

Com centenas de projetos patrocinados anualmente, o Bradesco acredita que a cultura é um agente transformador da sociedade. Além do Teatro Bradesco, o banco apoia iniciativas que contribuem para a sustentabilidade de manifestações culturais que acontecem de norte a sul do País, reforçando o seu compromisso com a democratização da arte.

São eventos regionais, feiras, exposições, centros culturais, orquestras, musicais e muitos outros. O banco também mantém o Bradesco Cultura, plataforma digital que reúne conteúdo relacionado às ações culturais que contam com o patrocínio da instituição. Visite em cultura.bradesco.

FOTOS: Marcio James (Secretaria de Cultura e Economia Criativa)

Você pode gostar