EnglishFrenchItalianPortugueseSpanish

CULTURADOAM

Emoção e lirismo com ‘Mulheres da Ópera’

Foto: Michael Dantas/SEC

Mais de 55 convidados, entre pacientes e funcionários da Fundação Doutor Thomas e os cantores do coral Vozes de Ouro do Parque Municipal do Idoso, prestigiaram o espetáculo “Mulheres da Ópera”, que aconteceu na manhã desta quarta-feira (29/05), encerrando, assim, o ciclo de apresentações da obra, que foi um dos destaques do 22º Festival Amazonas de Ópera, levando música, poesia e lirismo a diversas áreas da cidade.

O FAO é realizado pelo Governo do Amazonas, através da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), com patrocínio master do Bradesco, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cidadania e Secretaria Especial de Cultura. O evento começou no dia 26 de abril, com apresentações de óperas, recitais e concertos, encerrando nesta quinta-feira (30 de maio).

Em “Mulheres da Ópera”, as sopranos Carol Martins, Elane Monteiro, Mirian Abad e Raquel de Queiroz, e as mezzo-sopranos Kelly Fernandes e Yana Stravaganzzi, cantoras dos Corpos Artísticos do Estado, interpretam trechos de óperas que retratam personagens femininos emblemáticos, seja pela força, atitude ou pela beleza, em obras trágicas ou cômicas.

A gerente do Fundo Municipal do Idoso, Marcia Nicolau, agradeceu a iniciativa da Secretaria de Cultura em levar o espetáculo ao espaço. “Nós ficamos muito gratos com esse presente, porque os idosos precisam dessa interação cultural. A gente sabe que há uma dificuldade em levar os idosos para fora da fundação, pois a maioria dos nossos pacientes é de média e alta complexidade. Então, quando temos qualquer tipo de manifestação cultural aqui, a presença deles é unânime. Eles ficam muito excitados quando vem alguém de fora, ainda mais um espetáculo desses, que todo mundo sonha em ver”, destacou.

Uma das obras mais famosas do repertório operístico, “Carmen”, de Bizet, esteve presente no “Mulheres da Ópera”, com a ária “Chanson Bohème”. Outro destaque do programa foi a “Cavalgada das Valquírias”, trecho da ópera “Die Walküre” (“A Valquíria”), de Richard Wagner, e a a ária “O mio babbino caro”, de “Gianni Schicchi” (Giacomo Puccini), assim como “È un anátema”, de “La Gioconda” (Amilcare Ponchielli), também apresentadas no espetáculo, que durou 40 minutos.

Superanimada e emocionada, Maria do Carmo Saldanha, moradora da fundação, disse que adorou a apresentação. “Foi maravilhoso e muito lindo. Tem muita gente aqui que nunca viu uma ópera. Achei maravilhoso! Mas eu sempre assisto na televisão. Foi muito linda essa apresentação, porque ainda não conhecia essas óperas”, contou.

A assistente social da Fundação Doutor Thomas, Michele Falcão, disse que é importante a integração de espetáculos como o promovido pelo FAO, principalmente, para a saúde e bem-estar dos pacientes. “A música traz muitos benefícios para os idosos, principalmente, na preservação da memória cognitiva deles. Eles adoram o estímulo que qualquer tipo de atividade que envolve música traz, além de aumentar a qualidade de vida e lazer deles. Eles gostaram muito e se emocionaram demais com o espetáculo”, completou.

“Achei muito bom, porque percebemos uma afinação muito grande. As vozes estavam em um único timbre, e a gente vê que elas fizeram muitos ensaios e treinamento. A gente se sente muito bem assistindo a um espetáculo como esse. Toquei clarinete quando era jovem, então, adoro ouvir música assim”, declarou Ronilson Feitoza, também morador do local.

Para Francis Madson, diretor cênico de “Mulheres da Ópera”, as apresentações em espaços como a Fundação Doutor Thomas têm um gosto especial. “Levar a apresentação para espaços de cuidados como esse nos emociona muito. Por ser um projeto muito versátil, que cabe em diversos lugares, acredito que devamos continuar a levar o FAO para esses ambientes, que têm um público bastante aberto para um trabalho como esse. Com isso, fica ainda mais forte a intenção do que a gente apresenta a eles. Foi mais uma apresentação maravilhosa”, finalizou.

Sobre o 22º FAO – Em 2019, o FAO celebra o centenário de nascimento de Claudio Santoro. Fizeram parte da programação a apresentação da ópera “Alma”, do compositor e maestro amazonense; “Ernani”, de Giuseppe Verdi; “Maria Stuarda”, de Gaetano Donizetti; “Tosca”, de Giacomo Puccini; e “Mater Dolorosa”, baseada na cantata “Stabat Mater Dolorosa”, de Giovanni Pergolesi.

Os ingressos para o FAO 2019 estão à venda na bilheteria do Teatro Amazonas e pelo site Bilheteria Digital (www.bilheteriadigital.com/teatroamazonas), com valores que vão de R$ 2,50 a R$ 60.

Sobre o Bradesco Cultura – Com centenas de projetos patrocinados anualmente, o Bradesco acredita que a cultura é um agente transformador da sociedade. O Banco apoia iniciativas que contribuem para a sustentabilidade de manifestações culturais que acontecem de norte a sul do País, reforçando o seu compromisso com a democratização da arte.

São eventos regionais, feiras, exposições, centros culturais, orquestras, musicais e muitos outros, além do Teatro Bradesco em São Paulo. Fazem parte do calendário 2019 atrações como o musical “O Fantasma da Ópera” e o Natal do Bradesco, em Curitiba.

Você pode gostar