EnglishFrenchItalianPortugueseSpanish

CULTURADOAM

Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) são entregues às Cirandas de Manacapuru

Cada kit conta com 400 itens para garantir a gestão de segurança dos colaboradores

Fotos: Tácio Melo/Secretaria de Cultura e Economia Criativa

As agremiações que participam do 24º Festival de Cirandas de Manacapuru, receberam nesta sexta-feira (13/08), os Equipamentos Proteção Individual (EPIs) que serão utilizados durante a festa, a ser realizada entre os dias 26 e 28 de agosto, na arena Parque do Ingá. O festival é realizado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa em parceria com a Prefeitura do Município de Manacapuru (distante 93 quilômetros de Manaus).

Ao todo, 1.200 EPIs foram distribuídos entre os integrantes das cirandas participantes do festival: Guerreiros Mura, Flor Matizada e Tradicional. 

A visita ao município se estendeu à arena Parque do Ingá, palco das apresentações das cirandas. O complexo, atualmente, recebe obras de melhorias estruturais para receber um público esperado de 40 mil pessoas nos três dias de festa. Cada kit de EPI é composto por fardamentos personalizados, capacetes, protetores auriculares, luvas, aventais e botas, sendo 50 unidades de cada item. 

O secretário executivo de Cultura e Economia Criativa, Cândido Jeremias, afirma que a ação atende uma demanda dos cirandeiros. “Eles solicitaram do Governo do Estado uma entrega de EPIs, como fizemos no Festival Folclórico de Parintins”. Cada presidente de agremiação assinou uma cautela de entrega com a relação de materiais, que faz parte do protocolo de exigências dos órgãos fiscalizadores. “Todos esses equipamentos representam uma grande parceria e um incentivo muito grande ao nosso trabalho”, ressalta Vanessa Mendonça, presidente da Flor Matizada.  

O secretário acrescenta que a iniciativa é inédita. “É uma atitude que nunca foi feita antes e isso é importante, até para geração de emprego e renda. São operários, figurinistas e toda a equipe que gera emprego através da realização do festival”, afirma.

Para o presidente da Guerreiros Mura, Renato Teles, a dificuldade maior estava na aquisição dos equipamentos, cuja ausência dos mesmos recai em punição à agremiação. “A gente vinha cumprindo com os equipamentos de segurança a nosso modo, agora estamos bem mais equipados. Melhorou muito”, afirma o presidente e fundador da Guerreiros Mura.

O presidente da Ciranda Tradicional, Magal Pinheiro, enaltece a iniciativa inédita. “Hoje estamos padronizados com os EPIs completos e isso é muito gratificante para Ciranda Tradicional”, comemora Magal.

Você pode gostar