EnglishFrenchItalianPortugueseSpanish

CULTURADOAM

Espetáculo de dança é apresentado em espaços públicos de Manaus

No dia 29 de julho, às 17h30, o Centro de Convivência Padre Pedro Vignola, na Cidade Nova, recebe os bailarinos do Corpo de Dança do Amazonas

Fotos: Divulgação/Secretaria de Cultura e Economia Criativa

A apresentação de “Em Cantos”, espetáculo do Corpo de Dança do Amazonas (CDA), atraiu os olhares curiosos de quem passou pelo Parque Jefferson Péres, Centro, nesta quinta-feira (15/07). A próxima performance do projeto “In Loco” está marcada para o dia 29 de julho, às 17h30, no Centro de Convivência Padre Pedro Vignola, na Cidade Nova, zona norte.

Ambulantes, pessoas se exercitando, caminhando ou mesmo de passagem pelo local, admiraram a intervenção artística do CDA e registraram o momento. Com coreografia de Raíssa Costa e trilha sonora de Ayrton Pessoa Bob, ao todo, 18 bailarinos do CDA participam do projeto.

A coreógrafa convidada pelo CDA explica que tem identificação com a proposta do projeto, por meio das pesquisas que realiza quanto à ocupação de espaços públicos. De acordo com Raíssa, cada apresentação é única, pois leva em consideração a observação do público de cada local.

“A ideia do trabalho é a gente retratar o que as pessoas normalmente fazem na rua, então, a partir dos gestos que a gente capta do próprio espaço, a gente vai criando o espetáculo naquele momento”, afirmou a coreógrafa.

Gerald Araújo conta que estava na sua rotina diária de exercícios quando decidiu parar para observar a apresentação. Morador do centro da cidade, Gerald é frequentador assíduo do parque estadual e revela ter aprovado os espetáculos no espaço público.

“Achei interessante o grupo de balé. Isso é bom para a cultura, principalmente para quem não tem oportunidade de ir ao teatro, para as camadas mais pobres”, avaliou ele.  

Fã dos espetáculos do CDA, Raísa Seabra disse que veio ao parque especialmente para assistir à apresentação.

“As apresentações do CDA têm sempre uma constância de movimento muito grande, uma energia, uma intensidade de movimentação que faz com que, mesmo que esteja só de passagem, preste atenção no que eles fazem. Eu acho sempre muito interessante”, observou Seabra.

Fotos: Divulgação/Secretaria de Cultura e Economia Criativa

Interior

Além das apresentações na capital amazonense, o CDA planeja levar para o interior a intervenção artística. Segundo a coreógrafa do projeto “Em Cantos”, a companhia e a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa estão estudando os municípios que receberão os espetáculos.

“A ideia é que a gente possa descentralizar, que a partir de agosto a gente comece a fazer essa circulação em vários municípios”, adiantou a coreógrafa. 

Você pode gostar