EnglishFrenchItalianPortugueseSpanish

CULTURADOAM

FAO 2022: ‘Peter Grimes’ perpassa natureza humana e emociona no palco do Teatro Amazonas

Com mais de 80 artistas envolvidos, troca de cenários e abordando temas relevantes sobre a humanidade, a ópera “Peter Grimes” teve a sua estreia no 24º Festival de Ópera do Amazonas (FAO), nesta sexta-feira (20/05), no Teatro Amazonas. A obra do compositor Benjamin Britten, escrita no século XX, na Inglaterra, e adaptada aos palcos, foi apresentada pela primeira vez no Amazonas.

Promovido pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa e da Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC), o festival de ópera inovou com um título que carrega complexidade, ao abordar assuntos polêmicos, como a hipocrisia, exploração ao trabalho infantil, instigando o público a refletir sobre a prática do cancelamento, os tribunais das redes sociais e a intolerância.

“É uma obra clássica no modelo grego, uma tragédia que, apesar de escrita tempos atrás, tem uma humanidade atemporal, com estereótipos que se repetem”, disse o tenor Fernando Portari, que dá vida a Peter Grimes.

Esse diferencial tornou a ópera uma das mais aguardadas do FAO. O secretário de Estado de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz destaca a importância do festival que recebeu convidados de outros estados, fortalecendo o intercâmbio cultural.

“Na estreia de Peter Grimes recebemos importantes convidados, que participaram do 3º Encontro de Cultura e Economia Criativa e Teatro de Ópera, além de vários estados representados, que estiveram presentes no Fórum de secretários de Cultura e coordenadores de Cultura do interior do Amazonas. Além de prestigiar a nossa programação, tivemos a oportunidade de participar de um importante diálogo, debatendo políticas públicas de cultura entre outros temas”, avaliou Marcos Apolo.  

Produção artística – Resultado de uma parceria entre o FAO e a Universidade de Los Andes, da Colômbia, dois professores da instituição atuaram na produção da ópera “Peter Grimes”. Um deles, o colombiano, diretor cênico da obra, Pedro Salazar, que destaca a montagem do cenário construído, com exclusividade, para apresentação em Manaus. 

“Nesta produção temos uma paisagem latino-americana, um povo similar aos povos do pacífico colombiano. Trabalhamos com muitas imagens do Amazonas, encontramos pescadores urbanos e chegamos a um universo mais próprio para ópera”, disse o diretor. Elementos de grande dimensão entram e saem do palco, dando vida a novos cenários, que encontram semelhança às palafitas das vilas de pescadores do Amazonas.  

A ópera sustenta três horas de duração, o que comprova o alto grau de complexidade da montagem, acompanhada pela Orquestra Amazônica Filarmônica, sob a regência do maestro Luiz Fernando Malheiro.  

“A orquestra vem ensaiando desde fevereiro, assim como o coral. É uma ópera de difícil execução, mas é um prazer enorme está produzindo esta obra de um título tão significativo do século XX, que merece que o público assista”, finaliza Malheiro.  

A montagem terá outras duas récitas, no domingo (22/05) e na terça-feira (24/05).

Festival – O FAO segue até 31 de maio, na capital e interior. A programação conta com atrações gratuitas e, para as obras pagas, os ingressos estão à venda em www.bilheteriadigital.com e na bilheteria do Teatro Amazonas.

Cinco óperas, recitais, concertos, workshop e encontro de economia criativa estão na agenda do evento. A programação inclui atrações no Teatro Amazonas, Teatro da Instalação, centros culturais Palácio da Justiça e Palácio Rio Negro e também no interior (veja programação completa). As estreias das óperas vão ser transmitidas pela TV Encontro das Águas e nas redes sociais da @culturadoam. 

O FAO é realizado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa e da Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC). O projeto, aprovado na Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cidadania e Secretaria Especial de Cultura, tem patrocínio master do Bradesco e patrocínio da Innova. 

Bradesco e cultura – Com centenas de projetos patrocinados anualmente, o Bradesco acredita que a cultura é um agente transformador da sociedade. Além do Teatro Bradesco, o banco apoia iniciativas que contribuem para a sustentabilidade de manifestações culturais que acontecem de norte a sul do País, reforçando o seu compromisso com a democratização da arte. 

São eventos regionais, feiras, exposições, centros culturais, orquestras, musicais e muitos outros. O banco também mantém o Bradesco Cultura, plataforma digital que reúne conteúdo relacionado às iniciativas culturais que contam com o patrocínio da instituição. Visite em cultura.bradesco. 

FOTO: Michael Dantas /Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa

Você pode gostar