EnglishFrenchItalianPortugueseSpanish

CULTURADOAM

Festival Amazonas de Ópera entra na última semana de apresentações

“Alma”, de Claudio Santoro, será reapresentada nos dias 28 e 30 de maio. Foto: Michael Dantas/SEC

Para quem quiser prestigiar as últimas apresentações do 22º Festival Amazonas de Ópera (FAO), ainda há tempo. Nessa reta final do festival, o público poderá conferir as apresentações de “Alma”, “Mulheres da Ópera”, “Ópera Mirim” e “Mater Dolorosa”. Os espetáculos serão apresentados em diversas áreas da cidade, algumas abertas ao público e com entrada gratuita.

O FAO é realizado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), com patrocínio master do Bradesco, via Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cidadania e Secretaria Especial de Cultura. A abertura foi no dia 26 de abril e o evento segue com apresentações de ópera, recitais e concertos até esta quinta-feira (30/05).

Nesta terça-feira (28/05) tem a segunda récita de “Alma”, ópera do compositor amazonense Claudio Santoro, às 20h, no Teatro Amazonas. A história se passa em São Paulo, nos anos 1920. O escritor João do Carmo ama a jovem Alma, que não o corresponde. A moça de 20 anos se apaixona por Mauro, um cafetão que a agride, obrigando-a a se prostituir em cabarés. Essa conturbada relação permeia a ópera, composta (música e libreto) por Santoro em 1985. O espetáculo conta com Corpo de Dança do Amazonas, Coral do Amazonas e Amazonas Filarmônica. A direção musical e regência ficam por conta do maestro Marcelo de Jesus.

Na quarta-feira (29/05), às 10h, na Fundação Doutor Thomas, vai haver a apresentação de “Mulheres da Ópera”. A apresentação conta com elenco estrelado, formado pelas sopranos Carol Martins, Elane Monteiro, Mirian Abad e Raquel de Queiroz; e as mezzo-sopranos Kelly Fernandes e Yana Stravaganzzi, que na apresentação são acompanhadas pelo pianista Pedro Panilha. O repertório é composto por trechos de óperas protagonizados por personagens femininos.

Ainda na quarta-feira (29/05), às 16h, no Ceti Zilda Arns (comunidade Jesus Me Deu) acontece a apresentação de “O Menino e os Sortilégios”, que faz parte da programação do projeto “Ópera Mirim”. Formado pelos artistas Fábio Retti e Fabiana Vasconcelos, o grupo Pequeno Teatro do Mundo vai apresentar a obra “L’enfant et les Sortilèges”, do compositor e pianista francês Maurice Ravel (1875-1937). Com 14 personagens manipulados, a obra traz enredo em torno de uma criança que enfrenta a revolta de bichos e objetos por sua preguiça diante dos deveres de casa.

No mesmo dia, às 20h, é a vez da reapresentação do espetáculo “Mater Dolorosa”, no palco do Teatro Amazonas. Propondo uma reflexão crítica sobre a crise global da produção de plástico e da poluição, “Mater Dolorosa” nasce da releitura de “Stabat Mater”, do compositor italiano Giovanni Pergolesi, que retrata musicalmente a dor de Maria ao ver seu filho Jesus na cruz.

“Mater Dolorosa”. Foto: Michael Dantas/SEC

Para dar vida a essa obra, duas solistas sobem ao palco a soprano Dhijana Nobre e a mezzo-soprano Talita Azevedo, além do Balé Experimental do Corpo de Dança do Amazonas. A regência da Orquestra de Câmara do Amazonas (OCA) e a direção cênica são do maestro Átila de Paula.

E, encerrando a programação do FAO em grande estilo, acontece na quinta-feira (30/05), a última apresentação da ópera “Alma”, a partir das 20h, no Teatro Amazonas.

Sobre o Festival Amazonas de Ópera – O FAO começou no dia 26 de abril. Em 2019, o Festival celebra o centenário de nascimento do maestro e compositor amazonense Claudio Santoro. Compõem a programação do evento as óperas “Alma”, de Santoro; “Ernani”, de Giuseppe Verdi; “Maria Stuarda”, de Gaetano Donizetti; “Tosca”, de Giacomo Puccini; e “Mater Dolorosa”, baseada na cantata “Stabat Mater Dolorosa”, de Giovanni Pergolesi.

Os ingressos para o FAO 2019 estão à venda na bilheteria do Teatro Amazonas e pelo site Bilheteria Digital (www.bilheteriadigital.com/teatroamazonas), com valores que vão de R$ 2,50 a R$ 60.

Sobre o Bradesco Cultura – Com centenas de projetos patrocinados anualmente, o Bradesco acredita que a cultura é um agente transformador da sociedade. O Banco apoia iniciativas que contribuem para a sustentabilidade de manifestações culturais que acontecem de norte a sul do País, reforçando o seu compromisso com a democratização da arte.

São eventos regionais, feiras, exposições, centros culturais, orquestras, musicais e muitos outros, além do Teatro Bradesco em São Paulo. Fazem parte do calendário 2019 atrações como o musical “O Fantasma da Ópera” e o Natal do Bradesco, em Curitiba.

Você pode gostar