EnglishFrenchItalianPortugueseSpanish

CULTURADOAM

No Amazonas, Encontro de Economia Criativa incentiva fomento à cultura e geração de emprego e renda

FOTOS: Michael Dantas/Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa

Discutir o potencial e os impactos positivos dos setores de cultura e serviços, como solução para o desenvolvimento social e econômico sustentável da região amazônica. Esta é a proposta do 3° Encontro de Economia Criativa e Teatros de Ópera na América Latina, que acontece nesta sexta-feira (20/05), às 9h, no Salão Solimões (avenida Sete de Setembro, 1.546, Centro, anexo do Centro Cultural Palácio Rio Negro). O evento faz parte da programação do 24° Festival Amazonas de Ópera (FAO) e tem entrada gratuita.

Promovido pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC), o encontro tem um papel significativo no fomento da cultura, mas também abre um canal de discussão e propostas entre representantes das secretarias de Planejamento, Turismo, Educação, além da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) e da Fundação Nacional de Artes (Funarte).

Segundo o secretário de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz, a indústria da cultura apresenta um mercado promissor que vem sendo potencializado no Amazonas.

“Não podemos pensar somente em cultura como um setor de manifestação artística, mas sim, como um terreno repleto de possibilidades. Postos de trabalho são gerados em produções culturais, empregos formais como, costureiros, aderecistas, serralheiros, além de aquecer o turismo e o comércio no estado”, afirma Apolo.

A diretora executiva do FAO, Flávia Furtado, idealizadora do 3° Encontro de Economia Criativa e Teatro de Ópera na América Latina, destaca a importância do evento.

“A interlocução entre pastas governamentais, agentes culturais e empreendedores sociais deve ser uma prática constante para que o potencial latente seja compreendido em sua totalidade, possa ganhar corpo e alcançar resultados perenes, impactando dados sociais e econômicos”, comenta.

Conforme explica Flávia, a preservação ambiental também entra em pauta no encontro. Ela destaca que a economia criativa, o turismo e os serviços devem oferecer caminhos para o crescimento econômico, alinhados à sustentabilidade do Amazonas.

Acordo de cooperação – Durante o evento ainda tem a assinatura do Acordo de Cooperação Técnica, envolvendo as Secretarias de Cultura e Economia Criativa e de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia da Inovação e a Suframa.

“O acordo será um marco importante, no momento em que a indústria da cultura se torna parte do polo econômico criado em 1967, formado por um conglomerado de empresas das áreas de comércio, indústria e agropecuária”, destaca Flávia.

A diretora executiva do FAO explica que, a partir do acordo, os resultados do setor de economia criativa vão ser mapeados, sendo possível um levantamento do impacto real da indústria da ópera e da cultura no Estado do Amazonas, para a criação de novas linhas de políticas públicas e fomento.

Acordo de coprodução – No encontro será firmado ainda um acordo de coprodução da ópera “O Contractor de Diamantes”, entre representantes do Teatro Amazonas, Theatro Municipal de São Paulo (SP) e Palácio das Artes, de Belo Horizonte (MG).

A parceria entre os teatros decorreu do Fórum Brasileiro de Ópera, Dança e Música de Concerto, que reúne artistas e instituições musicais do país e age no fomento da união e representatividade dos setores junto aos órgãos públicos e à iniciativa privada.

Festival – O FAO iniciou no dia 29 de abril e segue até 31 de maio, na capital e interior. Cinco óperas, recitais, concertos, workshop e encontro de economia criativa estão na agenda do evento.

A programação inclui atrações no Teatro Amazonas, Teatro da Instalação, centros culturais Palácio da Justiça e Palácio Rio Negro e também no interior. As estreias das óperas são transmitidas pela TV Encontro das Águas e nas redes sociais da @culturadoam.

O FAO é realizado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa e da Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC). O projeto, aprovado na Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cidadania e Secretaria Especial de Cultura, tem patrocínio master do Bradesco e patrocínio da Innova.

Bradesco e cultura – Com centenas de projetos patrocinados anualmente, o Bradesco acredita que a cultura é um agente transformador da sociedade. Além do Teatro Bradesco, o banco apoia iniciativas que contribuem para a sustentabilidade de manifestações culturais que acontecem de norte a sul do país, reforçando o seu compromisso com a democratização da arte.

São eventos regionais, feiras, exposições, centros culturais, orquestras, musicais e muitos outros. O banco também mantém o Bradesco Cultura, plataforma digital que reúne conteúdo relacionado às iniciativas culturais que contam com o patrocínio da instituição. Visite em cultura.bradesco.

Você pode gostar