Click to listen highlighted text!

CULTURADOAM

Ópera Anna Bolena estreia montagem nacional inédita no 25° Festival Amazonas de Ópera

Casa cheia na noite de estreia da ópera dramática de Anna Bolena. As próximas récitas são nos dias 5 e 20 de maio, no Teatro Amazonas

A primeira montagem brasileira da ópera Anna Bolena, de Gaetano Donizetti, produzida em Manaus, estreou no palco do Teatro Amazonas, neste domingo (30/04), no 25° Festival Amazonas de Ópera (FAO). As vozes dos solistas brasileiros e a música orquestrada pela Amazonas Filarmônica preencheram a casa. A plateia prestigiou, esgotando os ingressos da noite marcada pelo ineditismo de um dos títulos mais importantes da cena lírica mundial.

O 25º Festival Amazonas de Ópera é uma realização do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e da Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC), com patrocínio master do Bradesco e apoio cultural do Grupo Atem, além da aprovação na Lei de Incentivo à Cultura.

O secretário de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz, comemora mais um marco conquistado pelo festival, ao preconizar uma montagem brasileira, com artistas nacionais, acompanhados pelo Coral do Amazonas e pela Amazonas Filarmônica. “A cada espetáculo o festival mostra o seu potencial, faz esse trabalho de inclusão e interação com o público local, geração de emprego e renda e nós temos a orientação do governador Wilson Lima de prestigiar as óperas nacionais e os artistas locais”, afirma o secretário.

“Neste ano estamos trabalhando com dois autores brasileiros em uma coprodução com o Teatro Municipal de São Paulo, e também com obras locais, como o espetáculo O Curumim, com a garotada do Liceu Cláudio Santoro, além de uma produção 100% local”, cita Apolo.

A ópera Anna Bolena, baseada no livro italiano de Felice Romani, narra a vida da segunda esposa do rei da Inglaterra, Henrique VIII. No Brasil, foi encenada apenas uma vez, em 1844, com uma produção italiana. O resgate histórico do título, no 25° Festival Amazonas de Ópera, tem a direção musical do maestro Marcelo de Jesus. Ele se diz honrado pela missão, justamente no ano em que uma das grandes intérpretes de Anna Bolena, a soprano Maria Callas, completaria um centenário.

“Além de ser uma ópera importante, ela nos oferece todos os elementos operísticos. Eu tenho muito orgulho de participar mais uma vez do festival, há 23 anos, agora com esse título inédito, primeira produção brasileira. O festival de novo fazendo história e homenageando essa grande cantora lírica, que revolucionou a arte do canto”, destaca o maestro.

Elenco e plateia

No palco, o Coral do Amazonas e solistas sustentam quatro horas de ópera em um cenário exuberante com projeções realistas. A soprano, Tatiana Carlos, que interpreta Anna Bolena, arrancou aplausos da plateia, logo no primeiro ato. “É um marco na vida de qualquer cantor. É de longe, o papel mais desafiador que já fiz, e que marcou a vida de muitas cantoras, então sempre foi o meu grande sonho desde estudante, é uma honra”, revela a solista.

Ela já participou de outros anos do Festival Amazonas de Ópera, mas a cada edição tem uma expectativa diferente para quem está no palco do Teatro Amazonas. “O público manauara é incrível, super receptivo. É sempre um prazer enorme, toda direção do FAO é acolhedora, faz tudo ser um pouco mais fácil, sempre ajuda a oferecer o meu melhor”, comenta.

O título também chamou atenção do público. A psicóloga Aline Oliveira garantiu o ingresso assim que soube do espetáculo inédito e, reconhece a importância do festival, do qual participou pela primeira vez. “Sabemos que a pandemia nos afastou e isso (festival) é essencial para mostrarmos a nossa cara para o mundo. O festival precisa seguir e progredir”, finaliza a psicóloga.

25º FAO e títulos

A temporada de óperas de 2023, iniciou no dia 21 de abril e se estende até 28 de maio. O Teatro Amazonas recebe, nesta 25ª edição do FAO, quatro grandes títulos: “O Contractador dos Diamantes”, de Francisco Mignone; “Anna Bolena”, de Gaetano Donizetti; “Piedade”, de João Guilherme Ripper, e a remontagem de “Peter Grimes”, de Benjamin Britten.

Para informações sobre a programação, acesse @teatroamazonas. Os ingressos estão à venda na bilheteria do Teatro Amazonas ou no shopingressos.com.br. O festival traz, ainda, uma programação gratuita, com recitais, concertos, musicais e montagens de ópera para o público infantil.

FOTOS: Marcio James /Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

Você pode gostar

Click to listen highlighted text!