Home Notícias Carlos Almeida lança Sistema Estadual da Cultura e assina parceria com TV pública

Carlos Almeida lança Sistema Estadual da Cultura e assina parceria com TV pública

Governador em exercício ressaltou a importância da cultura para o desenvolvimento do Estado

Fotos: Michael Dantas

O governador do Amazonas em exercício, Carlos Almeida Filho, lançou, na noite desta terça-feira (05/11), Dia Nacional da Cultura, um pacote de ações culturais que inclui o Sistema Estadual de Cultura e projetos que buscam promover a valorização do artista amazonense e o desenvolvimento das potencialidades culturais dos municípios do interior.

Durante a solenidade, realizada no hall de entrada do Teatro do Amazonas, Carlos Almeida também assinou um termo de parceria entre a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa e a TV Encontro das Águas, para divulgação de material audiovisual independente produzido na Amazônia e exibição de videoaulas.

O governador em exercício destacou o papel da cultura como atividade econômica. “Na reforma administrativa recentemente empreendida, a Secretaria de Cultura se tornou Secretaria de Cultura e Economia Criativa, o que tem todo um significado. O cerne do governo Wilson Lima é fazer com que os eventos culturais também possam ser o motor da própria economia”, frisou Carlos Almeida.

Diretrizes – Ele ressaltou, ainda, que as ações e projetos culturais em 2020 serão desenvolvidos conforme as diretrizes do Sistema Estadual de Cultura. “O lançamento desse sistema, inclusive com a estruturação de toda a cadeia que envolva a cultura já está sendo organizado, para um desenvolvimento mais contundente a partir do ano que vem, com a reforma do Conselho (de Cultura), o funcionamento de políticas de inclusão e também com a colaboração da sociedade”, afirmou o governador em exercício.

Melhorias – O Sistema Estadual de Cultura inclui, entre outros mecanismos, o Conselho Estadual de Cultura, o Fundo Estadual de Cultura, a Lei Estadual de Incentivo à Cultura e o Plano Estadual de Cultura. O secretário de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz, avalia que a ativação do sistema garante o alinhamento do Amazonas à política pública nacional para o segmento.

“O Sistema Estadual de Cultura compõe a reestruturação do Conselho Estadual de Cultura, que está desarticulado desde 2006; temos o Conselho Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico; o Fundo de Cultura, que já existia em Lei, mas não tinha nem CNPJ nem unidade gestora e agora já é uma realidade”, pontou secretário, enfatizando que o sistema vai ditar as políticas públicas de cultura pelos próximos dez anos.

Entre os avanços já alcançados nesta gestão estão o início da reestruturação do Conselho, com a proposta de transformar o decreto que foi instituído em Lei; e a regulamentação do Fundo, com a abertura do CNPJ, criação da Unidade Gestora e a inserção do Plano Plurianual (PPA) na Lei Orçamentária Anual (LOA). Com o Fundo de Cultura será possível, por exemplo, captar recursos internacionais para a abertura de editais nas áreas de artes cênicas, música, literatura, patrimônio histórico, entre outros.

Parceria com TV pública – O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa assinou um termo de cooperação com a TV Encontro das Águas, sem ônus para as partes, referente a três projetos: Cineclube TV, Praticarte e Cine Doc Amazonas.

“Hoje é assinado o termo com a TV Encontro das Águas, fazendo com que a nossa produção cultural e todas as pessoas que já conhecem o trabalho da Secretaria de Cultura e Economia Criativa possam ter acesso pela televisão em cadeia nacional, fazendo com que, inicialmente, os cursos de violão, teclado e desenho possam ser do conhecimento de todos”, disse o governador em exercício, Carlos Almeida Filho.

Com estreia marcada para o próximo sábado (09/11), o Praticarte consiste em videoaulas produzidas, captadas, editadas e finalizadas pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa, que serão veiculadas pela TV Encontro das Águas, associada à TV Brasil, que, a partir de dezembro, fará a exibição nacional do material. Com duração de 12 minutos, serão exibidas duas videoaulas por sábado, sendo um episódio inédito e uma reprise.

Outra ação prevista no Termo é a realização do Cineclube TV, um programa voltado para a divulgação da produção audiovisual independente realizada na Amazônia. Previsto para ser iniciado em 2020, o programa, semanal, será gravado no Teatro Amazonas, onde serão exibidas obras audiovisuais selecionadas por uma curadoria, a partir de interessados convocados via edital. Após a exibição das produções, o público poderá interagir com a equipe responsável pelo material.

Além disso, a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa também reforçará o Cine Doc Amazonas, fornecendo materiais de acervo para exibição na faixa de documentários e séries produzidas de forma independente da TV Encontro das Águas. Para isso, será formada uma curadoria, que vai analisar as produções a serem inseridas na programação da emissora.

“Colocamos no papel o que vínhamos fazendo desde o início do governo, alinhando todas as ações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, através da TV pública. Hoje, nós estamos conseguindo dar uma visibilidade muito maior a todas as ações que ocorrem no estado do Amazonas”, avaliou Oswaldo Lopes, presidente da TV Encontro das Águas, que também anunciou o lançamento rádio FM Encontro das Águas, prevista para entrar em operação já no mês de dezembro.

Valorização do artista – Na ocasião, o Governo também apresentou dois projetos que visam a valorização do artista amazonense e a identificação e desenvolvimento das potencialidades culturais dos municípios do interior. São eles: o Festival Cultura Urbana e a Expedição Cultural.

O Festival Cultura Urbana visa fazer um intercâmbio entre os artistas da cultura de rua que se encontram nas zonas periféricas da capital e do interior do Estado, assim como criar uma cadeia produtiva de empreendedores culturais, oportunizando o artista e a comunidade e ampliar o acesso às comunidades por meio de manifestações urbanas, entre elas dança, artesanato e economia criativa. A primeira edição será de 15 a 17 de novembro, com atividades nas zonas leste, norte e oeste da capital.

Já a Expedição Cultural promoverá a difusão, democratização e descentralização das ações culturais, além de um intercâmbio entre os artistas da capital com os dos municípios contemplados no projeto. A primeira expedição passará pelos municípios de Autazes (18 e 19/11), Nova Olinda (21 e 22/11) e Borba (24 e 25/11), com atividades como oficinas, apresentações artísticas e exibição de filmes.