GALERIA DO LARGO

Exposição permanente “Cidade Santa Anita” – Mário Ypiranga Monteiro.

Exposição “Pequenas Escalas”, Funarte

Premiada pela Fundação Nacional de Artes (Funarte), a exposição “Pequenas Escalas” pode ser conferida em Manaus até o dia 28/4, domingo, no Centro de Artes Visuais Galeria do Largo, na rua Costa Azevedo, 290, Centro.

A mostra reúne obras de dez artistas nacionais contemporâneos, tridimensionais e de instalação, que têm em sua dimensão reduzida a característica mais marcante.

A proposta da mostra, que tem a curadoria de Ivair Reinaldim, é explorar o senso lúdico, estimular a imaginação e a percepção diante de obras em miniatura.

O horário de funcionamento da Galeria do Largo é de terça-feira a domingo, das 9h às 21h.

CASA DAS ARTES

Exposição Fotográfica “Alegria à Flor da Pele”

Na Casa das Artes, localizada na rua José Clemente, 564, Centro, no entorno do Largo de São Sebastião, está em cartaz a exposição fotográfica “Alegria à Flor da Pele”. Com fotografias de Carlos Navarro, Selma Maia, Cleomir Santos e Tácio Melo, a mostra reúne registros dos carnavais de rua de Manaus.

A mostra fica aberta para visitação até o dia 26 de abril, na Casa das Artes, de terça-feira a domingo, das 15h às 21h. A classificação da exposição é de 16 anos.

CENTRO CULTURAL PALÁCIO RIO NEGRO

‘Novamao’ – Até 26 de maio, o Centro Cultural Palácio Rio Negro, situado na avenida Sete de Setembro, 1.546, Centro, conta com a exposição “Novamao”, que reúne 19 obras de seis artistas locais da nova geração: Caroline Sheik, Davi Baima, Juliana Mascarin, Márcio Matias, Natusiela e Willian Sarkis.

O público pode conferir a exibição de terça-feira a sábado, das 9h às 17h, e aos domingos, das 9h às 14h.

CENTRO CULTURAL USINA CHAMINÉ

Exposição “Lugares que o Dia não me deixa ver”, de Ruth Jucá

Aberta até 30 de junho de 2019, de segunda-feira a sábado, das 9h às 17h.

Composta por 12 peças que contam registro do projeto cultural de João Fernandes, evidenciando prédios históricos abandonados com apresentações artísticas.

‘Universo Feminino’

Obras do artista Will Sarkis estão disponíveis para visita até o dia 7 de julho. A exposição “Universo Feminino” mostra em diversas telas mulheres que inspiraram o artista. Sarkis tem como fonte de influência o pintor Pablo Picasso e usa, como principal característica, traços cubistas e cores vibrantes.

O horário de visitação da Usina Chaminé é de segunda-feira a sábado, das 9h às 17h.

CENTRO CULTURAL DOS POVOS DA AMAZÔNIA

Exposição “Abraçando o Xapono”, contempla 30 fotografias de Nara Nascimento, e destaca a beleza da natureza, em torno de uma representação do Xapono Yanomami, a casa plurifamiliar da etnia.

As obras representam as exuberantes fauna e flora que compõem o ecossistema ao redor de um Xapono real, e ficarão em exposição no Núcleo de Fotografia e Vídeo do Amazonas (NFVA) do CCPA, no período de 22 de abril a 9 de junho.

O CCPA funciona para visitação de segunda a sábado, das 9h às 17h.

CENTRO CULTURAL DE PARINTINS – BUMBÓDROMO

Exposição Permanente Memoriais Garantido e Caprichoso

Exposição “Ancestralidade”

Do artista visual Josinaldo Mattos, composta por 01 mural e 14 obras inéditas com curadoria de Evanil Maciel (artista parintinense);

Exposição Geo+Metria

Composta por 60 obras, com curadoria de Jair Jacmont, produções dos alunos do núcleo de artes visuais do LICEU/Parintins, e contou com a participação de 113 alunos.

MUSEU CASA EDUARDO RIBEIRO

Exposição Permanente

Informações digitais e painéis sobre a história da ACADEMIA AMAZONENSE DE MEDICINA; – Mobiliário antigo do Palacete Bretislau de Castro, residência do então Governador do Estado, Sr. Eduardo Gonçalves Ribeiro, e que ajudam a contar um pouco da imagem pessoal e profissional do mesmo.

PALACETE PROVINCIAL

Maquete Bumbódromo de Parintins, no térreo do Palacete Provincial, aberta de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, aos sábados e domingos das 9h às 14h.

Museu da Imagem e do Som do Amazonas – Máquinas do Tempo; Silvino Santos – O Fim de um Pioneiro; O Guarany

Museu Tiradentes –Mobiliário Antigo do Quartel da Polícia Militar do Amazonas; Flagrantes da História Esculturas do Mundo: Pré-história, Séculos XVII e XVIII, Egito, Grécia, Renascimento, Contemporâneo e Modernismo (Réplicas dos Museus do Louvre e Vaticano) 

Museu de Arqueologia Registros Arqueológicos; Laboratório de Arqueologia (Arqueologia na Catedral de Manaus, Cápsula do Tempo e Alfredo Mendonça de Souza)

Museu de Numismática Bernardo Ramos: Moedas, Medalhas, Cédulas e Condecorações das Idades: Antiga, média, Moderna e Contemporânea.

Pinacoteca do Estado: Novo Roteiro por Oscar Ramos e Cléia Viana.

Exposição ‘Contos de uma Amazônia Fantástica’ reúne trabalhos de 17 artistas locais, entre escultores, ilustradores, pintores e músicos, que criaram suas versões de lendas e mitos conhecidos do folclore amazônico. As obras, que têm curadoria assinada por Hadna Abreu, ficam no espaço até 19 de maio.

‘Se este piano falasse’

o Museu da Imagem e Som do Amazonas (Misam), localizado no Palacete Provincial, receberá a exposição “Se Este Piano Falasse – Um conto sobre Celeste Ramos”. Idealizada pelo fotógrafo amazonense Tácio Melo, a mostra é inspirada na vida e obra da primeira pianista do Amazonas.

A exposição, que tem curadoria do artista e professor Otoni Mesquita, reúne 28 fotografias em parceria com as fotógrafas Selma Maia e Gisele Gomes e com participação da atriz cantora e bailarina Evelyn Félix, que representa Celeste. O projeto foi contemplado no edital Conexões Culturais 2017, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), e tem apoio da SEC.

O Palacete Provincial funciona de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, e aos sábados e domingos, das 9h às 14h.

‘A Última Canção’ – Até quarta-feira (17/4), a exposição fotográfica “A Última Canção” ficará disponível para o público no Museu de Imagem e Som do Amazonas (Misam), localizado no Palacete Provincial.

A mostra é inspirada na história da violinista Ária Ramos, que morreu após ser atingida por uma bala perdida, durante um baile de Carnaval no Ideal Clube, em 1915.

A mostra fica disponível para visita durante o horário de funcionamento do Palacete Provincial. A classificação é livre.

PARQUE SENADOR JÉFFERSON PÉRES

Exposição Temporária: Arte Rupestre na Amazônia Continental, acervo SEC. A exposição é atualmente composta por 15 peças, que são pinturas feitas em pedras.  A arte rupestre ou arte sobre pedras retrata cenas cotidianas de homens e animais que se projetam e interagem num universo altamente simbólico. Trata-se de um fenômeno cultural comum a todas as regiões da Terra e indica ser uma forma de expressar de maneira estética a realidade que circunda o homem, e deixar evidências de tudo aquilo que é considerado importante para ele e para sua sociedade.

Exposição Permanente: Orquidário (aberta ao público somente com acompanhamento de estagiários)

TEATRO AMAZONAS

Exposições Permanente

Térreo: Painéis Museu Virtual; Exposição de Telhas da Cúpula; Fragmentos de Lustres; Troféus do Espaço.

1º Andar:

SL. Exposição 1 – Ópera (fantasias e vídeos);

Sl. Exposição 2 – Corpos Artísticos (Instrumentos e Vídeos); Maquete do Teatro Amazonas (duas dimensões); Maquete de Lego; Salão Nobre – Vasos / Escarradeiras / Falsos Gobelins

2º Andar: Cadeiras Originais do Teatro; Busto

3º Andar: Fantasias de Peças de Ópera (Festival Amazonas de Ópera); Bustos de Compositores; Sapatilhas de Bailarinos que já se apresentaram no Teatro Amazonas; Painéis contando a Cronologia da História da Ópera e do Teatro Amazonas;

Exposição Marcelo Mourão; Camarim De Época

Aberto para visitação de de terça a sábado, das 9h às 17h, e aos domingos, das 9h às 14h.
Entrada: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Amazonenses não pagam.

BIBLIOTECA PÚBLICA

‘Território Óbvio’ – Aberta para visitação até o mês de junho, no hall superior da Biblioteca Pública do Amazonas, na rua Barroso, 57, Centro, a exposição “Território Óbvio” reúne 20 fotografias de Julián Aude Santacruz registrando visitas realizadas às aldeias Tatuyo e Dessana, no Rio Negro, entre os anos de 2016 e 2018.

A Biblioteca Pública funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

PALÁCIO DA JUSTIÇA

Loquaz’ – No Centro Cultural Palácio da Justiça, localizado na avenida Eduardo Ribeiro, 901, Centro, ainda está em cartaz a exposição coletiva feminina “Loquaz”, que reúne obras de 26 fotógrafas sobre o dia a dia de mulheres que lutam para conquistar espaço em diversos territórios e espaços.

“Loquaz” fica disponível até 30 de junho, com visitação durante o horário de funcionamento do espaço: de terça a sábado, das 9h às 17h; e aos domingos, das 9h às 14h. A classificação é livre.