Home Notícias Festival Amazonas de Dança é destaque na agenda do fim de semana
Notícias - 2 semanas atrás

Festival Amazonas de Dança é destaque na agenda do fim de semana

Com encerramento neste domingo, o 9º Festival Amazonas de Dança (FAD) ainda tem apresentações no Teatro Amazonas, Teatro da Instalação e Largo de São Sebastião. Além do festival, mostra de cinema alemão, peças de teatro, espetáculos infantis e um encontro de motociclistas completam a agenda do fim de semana nos espaços da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa. Confira:

Sexta-feira (08/11)

10h – O Corpo de Dança do Amazonas, que participa do FAD como companhia convidada, apresenta “Carnaval dos Animais”, às 10h, no Teatro da Instalação (rua Frei José dos Inocentes, Centro). Na coreografia, a dança contemporânea, os elementos do cartoon e a caricatura dão a tônica das cenas, nas quais a coreógrafa Adriana Góes retrata os indivíduos em situações que se assemelham a animais de outras espécies. Entrada gratuita e classificação livre.

14h – Os fãs de bolero e de dança se reúnem na tradicional “Tarde Dançante”, que acontece no Centro Estadual de Convivência do Idoso (rua Wilkens de Mato, bairro Nossa Senhora Aparecida). O evento segue até 19h, com entrada gratuita e aberto ao público em geral.

17h – No Largo de São Sebastião, a atriz Karine Magalhães se apresenta com o espetáculo infantil “Interditado”, pela programação da 1ª edição “Semana Altamente Recomendável à Infância”. Acesso gratuito.

18h – Nesta sexta-feira, pela programação do FAD, tem apresentação de “Aponte”, de Alana Nascimento e Talita Menezes; “Memórias no Chão”, do Grupo Caminhos; e “Waranã”, de Will Cruz, todos no Teatro da Instalação (rua Frei José dos Inocentes, Centro), a partir das 18h. Classificação livre.

“Aponte” trata sobre conflitos, transculturalidades, efervescência, os embates que se travam entre a vontade de ir e voltar. Em cena são abordadas questões como angústia e saudade.

“Memórias no Chão” é uma performance em dança atrelada à pesquisa desenvolvida durante a carreira acadêmica da autora, Brisa Ramos, diagnosticada com epilepsia mioclônica juvenil. O espetáculo é sustentado pela motivação de (re)construir um caminho na Arte para um corpo marginalizado pela doença, ressignificando a necessidade de compreender o corpo e reafirmar sua potência criativa.

“Waranã” tem como contexto, os diversos contos, lendas e mitos sobre o “nascimento” do Guaraná, o que aconteceu depois, e quem foram os primeiros a entender seus efeitos, criando uma nova história por meio da dança.


18h e 19h – Nesta sexta, o Centro Cultural Usina Chaminé (avenida Manaus Moderna, Centro) recebe dois espetáculos contemplados pelo Edital Amazonas Cênico.

Às 18h será realizado “Velha Infância – E Éramos todos Erês”, com os artistas Michel Guerrero, Roque Baroque e Sinézio Rolim, do grupo Quem Matou Odete Roitman?. O espetáculo é um “revival” de canções infantis e artistas das décadas de 1980 e 1990. O projeto foi contemplado no edital Amazonas Cênico e tem entrada gratuita, com classificação livre. 

Às 19h, o espaço terá a peça “Antígona”, figura da mitologia grega, que vai além da própria vida para honrar o sepultamento do irmão, lutando contra a tirania dos homens e o poder do Estado que fere os direitos da pessoa humana, obrigando-a aceitar leis que levam a sua própria consumação e desonra os desejos dos deuses. A entrada é gratuita e a classificação é para 16 anos.

19h –   O célebre “Fitzcarraldo”, de Werner Herzog, é o filme que encerra a Mostra de Cinema Alemão, no Cineteatro Guarany (avenida Sete de Setembro, anexo do Centro Cultural Palácio Rio Negro, Centro). A entrada é gratuita e a classificação é para 14 anos.

A história se passa no Peru do início do século 1920. Para realizar seu sonho de construir uma casa de ópera na selva peruana, Brian “Fitzcarraldo” Fitzgerald arrenda um pedaço de terra de difícil acesso rico em borracha, na esperança de explorá-la. Para chegar ao local, nas profundezas da Amazônia, ele precisa da ajuda dos nativos em um plano arrojado para levar seu barco a vapor de um rio a outro pela região.

20h – Também pelo FAD,  a Cia. Expressão e Vida apresentará “As formas de dizer meu nome”, às 20h, no Teatro Amazonas. O espetáculo faz referência ao ser que, ao longo do tempo, dá significância a sua vida por meio de suas experiências desde o nascimento, ou até antes dele, acreditando que a forma como se é dita ou vivenciada interfere em sua relação com o mundo por meio das experiências. Entrada gratuita e classificação livre.

Sábado (9/11)

17h30 – A Flip Produções apresenta “Ananse”, às 17h30, no Largo de São Sebastião, pela programação do FAD. Na sequência, a Cia. Arte e Movimento fará “Enruína”. Os espetáculos  têm acesso gratiuto classificação livre.

“Ananse” é baseado na  lenda africana do deus Ananse, conhecedor de todas as histórias e aborda a condição do negro na sociedade, desde a escravidão até os dias atuais.

“Enruína” surge de reflexões sobre a relação corpo-espaço e memória-lugar em casas abandonadas de Centro da cidade de Manaus. Pensando conceituar e experimentar um corpo-ruína, o trabalho incita nos intérpretes a relação com seus próprios fragmentos, marcas pessoais e medos que se inter-relacionam com os resquícios das casas.

15h – A Graff Feira – feira de arte alternativa – será realizada no Largo de São Sebastião, das 15h às 20h. A feira está relacionada a exposição/ocupação “Sopa de Letras Trauapes”, em exibição na Galeria do Largo.

17h –  Contemplado no Edital Amazonas Cênico 2019, o palhaço Puxa-Puxa realiza o “Palhaçada Show”, também no Largo de São Sebastião. A apresentação reúne esquetes cômicas, mágica, circo e brincadeiras com o público. O acesso é gratuito.

18h – O Cineclube de Arte da Secretaria apresenta “Mostra da Memória Amazonense Contemporânea”, no Cineteatro Guarany, com exibições dos documentários de Sérgio Cardoso: “Carlos Zamith – O Baú da Vida e do Futebol” (28 Min) e “Flaviano Limongi – Um abraço, um beijo, uma saudade e uma rosa” (49 Min). A entrada é gratuita, e a classificação é livre.

19h – O Centro Cultural Usina Chaminé recebe o espetáculo “Provérbios de Burro”, contemplado no Edital Amazonas Cênico, com entrada gratuita e classificação para 14 anos. 

A obra conta a história de um burro chamado Liro, cujo objetivo é livrar-se das mãos de seu atual dono. A partir do resgate da sua memória, o personagem adentra em camadas do seu passado, revelando uma vida difícil, marcada pela indiferença e tentativas, em vão, de humanizá-lo.

19h – O Teatro da Instalação recebe o espetáculo infantil “Fina”, às 19h, pela “Semana Altamente Recomendável à Infância”. O espetáculo será reapresentado no domingo (10/11) e na segunda (11/11), no mesmo horário. A entrada é gratuita.

20h –  Também pelo FAD, no Teatro Amazonas, a Contém Dança Cia apresentará “Chico – o corpo em cores e sons”. O espetáculo mergulha, experimenta, vive e sente no corpo as composições de Chico Buarque de Holanda, onde cada intérprete fala das suas experiências e sentimentos íntimos em consonância com as músicas que falam do universo feminino. Entrada gratuita e classificação indicativa para 16 anos.

Domingo  (10/11)

17h – Com organização d’Os Solidários Moto Grupo e do Almas Livres Moto Clube, será realizada mais um “Encontro de Motociclistas”, no Largo de São Sebastião, com exibição de motos tipo custom, das 17h às 20h. O acesso é gratuito.

17h30 e 19h – No último dia do 9º FAD, a Índios.Com Cia. de Dança apresentará o espetáculo “Filhos da Terra”, às 17h30, no Largo de São Sebastião. O encerramento do festival acontecerá a partir das 19h, no Teatro Amazonas. A Pajê Cia. de Dança fecha a programação com o espetáculo “Mithus”.

“Filhos da Terra” é uma intervenção na qual as bailarinas se utilizam da paisagem sonora do espaço público, assim como de elementos da cultura indígena (paneiros, cuias e urucum), com o intuito de chamar atenção para corpos inviabilizados como os ameríndios, e para a percepção do corpo em relação à terra, que oferece uma boa energia, de cura, de vida.

“Mithus” é baseado na obra literária “She”, de Robert A. Jonhson, e faz uma viagem pelo reino das fantasias mitológicas que libertará as mulheres das preocupações mesquinhas do cotidiano. Ao retornar à realidade, elas têm a grata surpresa de se reconhecer neste reino fascinante e misterioso dos mitos, o verdadeiro reino interior em cada uma das mulheres.

19h – O Teatro Gebes Medeiros vai se transformar em ponto de encontro para os fãs de música produzida no Amazonas. Realizado pela Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, o Domingo Autoral será realizado todos os domingos, às 19h, com entrada gratuita. A programação segue até 29 de dezembro. 

Nesta edição, às 19h, o cantor Júnior Rodrigues e o convidado Pedrinho Lapa realizam um show especial, com entrada gratuita.