EnglishFrenchItalianPortugueseSpanish

CULTURADOAM

Recital Bradesco apresenta as ‘Canções de Amor’ do maestro Claudio Santoro

Foto: Michael Dantas/SEC

Paixão, desejo, saudade, melancolia. Todos esses e muitos outros sentimentos estarão representados no Recital Bradesco “Claudio Santoro – Canções de Amor”, que vai acontecer nesta segunda-feira (27), às 20h, no Teatro da Instalação, com entrada gratuita. O evento faz parte do 22º Festival Amazonas de Ópera (FAO) que, este ano, comemora o centenário do compositor amazonense. Durante o recital, serão apresentadas as músicas feitas por ele, em parceria com o poeta Vinícius de Moraes.

O FAO é realizado pelo Governo do Amazonas, através da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), com patrocíniomaster do Bradesco, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cidadania e Secretaria Especial de Cultura. A abertura do Festival foi no dia 26 de abril e o evento segue com apresentações de ópera, recitais e concertos até 30 de maio.

“O FAO promove diversas ações com a população local, mostrando que ópera pode ser acessível para todos. Isso está muito em linha com as crenças do Bradesco, que apoia iniciativas que garantem a sustentabilidade das manifestações culturais do país e que funcionam como catalizadores da transformação da nossa sociedade”, afirma o diretor de Marketing do Bradesco, Márcio Parizotto.

De acordo com o maestro Marcelo de Jesus, regente do Recital Bradesco, o público vai poder conferir as mais famosas canções escritas pelo compositor. “Vamos fazer as duas séries de músicas dele que são conhecidas no Brasil inteiro. São as obras mais famosas do maestro, cuja parceria com o poeta Vinícius de Moraes rendeu frutos belíssimos”, explicou.

As “Canções de Amor” foram agrupadas pelo compositor em duas séries, cada uma com cinco canções. Na primeira série consta “Ouve o silêncio”, “Acalanto da rosa”, “Bem pior que a morte”, “Balada da flor da terra” e “Amor que partiu”. Na segunda série, tem “Jardim noturno”, “Pregão da saudade”, “Alma perdida”, “Em algum lugar” e “A mais dolorosa das histórias”.

Melodicamente bonitas, há músicas para todo mundo que já amou alguém e que fazem um passeio pela montanha-russa de sentimentos que é estar apaixonado. “Tem canção falando de tristeza, de saudades, de melancolia, de amor que está longe… As músicas foram escritas em diversos locais, como o Rio de Janeiro, Paris, Sofia, Viena e Leningrado”, explicou o maestro.


As obras serão executadas pela Orquestra de Câmara do Amazonas e interpretadas pelas cantoras Carol Martins, Elane Monteiro, Mirian Abad e Raquel de Queiroz (sopranos); Kelly Fernandes e Yana Stravaganzzi (mezzo-sopranos), todas integrantes dos Corpos Artísticos do Estado.


“Seguimos na linha do empoderamento feminino, portanto, as cantoras de ‘Mulheres da Ópera’ foram as escolhidas para esse recital, mostrando a versatilidade das solistas selecionadas para esses espetáculos”, ressaltou Marcelo de Jesus. “Vai ser um recital bonito, com canções que fazem sucesso”, destacou.


No final da apresentação, será feita uma homenagem ao compositor amazonense, com a execução do Hino do Amazonas, escrito por Cláudio Santoro, com texto de Jorge Tufic e transcrição de Otávio Simões.


Sobre Claudio Santoro – Claudio Franco de Sá Santoro nasceu em Manaus, no dia 23 de novembro de 1919. Na adolescência destacou-se na cidade participando de recitais, o que lhe rendeu uma bolsa de estudos, concedida pelo Governo do Estado, para estudar música no Rio de Janeiro, de onde, anos depois, seguiu para o mundo com sua música.


Foi maestro, compositor, professor. Recebeu diversos prêmios e condecorações no Brasil e no mundo; foi fundador e Maestro Titular das Orquestras de Câmara da Rádio MEC e da Universidade de Brasília; das Orquestras Sinfônicas da Rádio Club do Brasil e do Teatro Nacional de Brasília; membro da Academia Brasileira de Música, da Academia Brasileira de Artes e da Academia de Música e Letras do Brasil, da qual foi Presidente.


Também regeu, como convidado, as mais importantes orquestras do mundo, entre elas, a Filarmônica de Leningrado, Estatal de Moscou, RIAS Berlin, ORTF Paris, Beethovenhalle Bonn, Sinfônica da Rádio de Praga, Filarmônica de Bucarest, Filarmônica de Sofia, PRO ART (Londres), Île de France (Paris) e Filarmônica de Varsóvia. Santoro faleceu no dia 27 de março de 1989, em Brasília, regendo, durante o ensaio geral do 1º concerto da temporada.


Sobre o 22º FAO – Em 2019, o FAO celebra o centenário de nascimento de Claudio Santoro, com a apresentação da ópera “Alma”, do compositor e maestro amazonense. Também estão na programação “Ernani”, de Giuseppe Verdi; “Maria Stuarda”, de Gaetano Donizetti; “Tosca”, de Giacomo Puccini; e “Mater Dolorosa”, baseada na cantata “Stabat Mater Dolorosa”, de Giovanni Pergolesi.

Os ingressos para o FAO 2019 estão à venda na bilheteria do Teatro Amazonas e pelo site Bilheteria Digital (www.bilheteriadigital.com/teatroamazonas), com valores que vão de R$ 2,50 a R$ 60.

A programação do festival abrange, ainda, o projeto “Ópera Mirim”; o encontro “Os Teatros de Ópera e a Economia Criativa na América Latina”, voltado para apresentar dados e casos de sucesso sobre a Indústria da Ópera na América Latina; o concerto do Dia das Mães, já apresentado; e Mulheres da Ópera.


Sobre o Bradesco Cultura – Com centenas de projetos patrocinados anualmente, o Bradesco acredita que a cultura é um agente transformador da sociedade. O Banco apoia iniciativas que contribuem para a sustentabilidade de manifestações culturais que acontecem de norte a sul do País, reforçando o seu compromisso com a democratização da arte. São eventos regionais, feiras, exposições, centros culturais, orquestras, musicais e muitos outros, além do Teatro Bradesco em São Paulo. Fazem parte do calendário 2019 atrações como o musical “O Fantasma da Ópera” e o Natal do Bradesco, em Curitiba.

Você pode gostar