EnglishFrenchItalianPortugueseSpanish

CULTURADOAM

Segunda edição do Banzeiro Novo será lançada no domingo, dia 16

O projeto Banzeiro Novo – iniciativa que tem a proposta de abrir espaço para o trabalho de novos talentos manauaras – ganha sua segunda edição neste domingo (16/5). O projeto é contemplado pelo Programa Cultura Criativa – 2020, Lei Aldir Blanc – Prêmio Feliciano Lana, do Governo do Estado do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (SEC), e recursos do Governo Federal – Ministério do Turismo – Secretaria Especial da Cultura – Fundo Nacional de Cultura.

Desta vez, a proposta resultou na gravação de um EP, que estará disponível em todas as plataformas digitais musicais – Spotify, Deezer, Tidal, YouTube Music, Apple Music – , e produção de vídeos para postagem no YouTube, reunindo, além dos idealizadores do projeto Beatriz Procópio e Santaella, também Gabi Farias, Dan Stump, banda Jambu e Anne Jezini.


O palco foi o majestoso Teatro Amazonas. Cada artista interpretou ao vivo uma canção de seu repertório autoral, tendo como cenário o monumento mais importante do cenário cultural de nossa cidade. “Estamos muito ansiosos por esse lançamento. Foi um sonho gravar no Teatro Amazonas e agora queremos mostrar para todo mundo esse resultado”, disse Procópio.


Para o cantor e compositor Santaella, a segunda edição mostra o amadurecimento do projeto. “Começamos com um web show com quatro artistas. Agora temos seis artistas, que fizeram um trabalho impecável no nosso maior palco. Mesmo sem público, foi uma grande emoção cantar e gravar no Teatro Amazonas. Tenho certeza de que todo mundo vai gostar demais do resultado”, afirmou.

Num momento tão difícil da pandemia da Covid-19, em que o segmento artístico ficou, praticamente, paralisado, a proposta cria uma oportunidade de divulgação dessa nova geração de artistas amazonenses, além de valorizar o trabalho de outros agentes culturais como músicos, fotógrafos, cinegrafistas, designers, técnicos de som e produtores musicais. “É uma forma de dar voz a essa nova geração que está surgindo e valorizar esse trabalho”, completou Beatriz.

A captação e edição de imagens dos vídeos foi feita pela Ronin Films, enquanto a captação de som e sonorização, por Shakal Mam, com mixagem e masterização de Victor Nery. Direção de Arte e materiais de divulgação foram feitas por Bruna Guimarães e Luana Oliveira, da Aurora C.O., com fotografias de Tadeu Lima.

Nas plataformas digitais musicais o EP será lançado às 23 horas (horário Manaus), do sábado, dia 15 de maio, nos perfis de todos os artistas. Já no YouTube, os lançamentos de cada vídeo ocorrerão a partir das 13h, de domingo, no canal de cada artista. A cada hora, um novo artista: 13h – Dan Sump; 14h – Beatriz Procópio; 15h – Anne Jezini; 16h – Santaella; 17h – Gabi Farias e 18h – Banda Jambu.

Santaella
O cantor e compositor Santaella começou sua carreira musical aos 11 anos, como vocalista da Banda Sinon. Em 2017, mudou-se para São Paulo, para estudar Música na Faculdade Belas Artes e começou sua carreira solo. Em 2019, foi semi-finalista do reality musical The Four Brasil, apresentado por Xuxa Meneghel. Voltou a Manaus em 2020. Possui cinco singles lançados: Hemisfério Hostil (2018), Só Agora (2019), Estado Natural (2019), Vem Cá Me Diz (2020, em dueto com Beatriz Procópio) e Não Há Por Que (2020). Seu primeiro EP – “Primavera”- está em fase final de produção, com lançamento previsto para agosto deste ano.


No Banzeiro Novo, Santaella relembrou a música de lançamento de sua carreira solo, gravada em 2018, de forma totalmente independente. Usando elementos do Pop/Rock e MPB, “Hemisfério Hostil” traz um som grooveado bem brasileiro e contemporâneo.


Beatriz Procópio
Apesar de ter começado a cantar profissionalmente apenas no ano passado, Beatriz Procópio tem sua vida marcada pela música. Canta e toca violão desde os seis anos de idade, e aos oito, fez sua primeira composição.


Em 2020, Beatriz Procópio ganhou projeção nacional ao participar da segunda temporada do The Four Brasil. Cantora, compositora, dançarina e atriz, ela tem quatro singles lançados nas plataformas digitais, três deles lançados ano passado: Luz, Mine e Vem Cá, Me Diz, num feat com Santaella. E Beijo Bom, lançada este ano.


No Banzeiro Novo, Beatriz interpreta seu primeiro sucesso. A música “Luz” fala sobre enxergar o brilho do outro, entender que os defeitos não anulam as qualidades e vice versa, além de retratar a leveza, beleza e certeza do amor.

Anne Jezini
Com nove anos de carreira, Anne Jezini acumula participações em festivais e projetos culturais da música local, como o Festival Cauxi, Festival Amazonas de Arte, Circuito de Artes Integradas até o Tucupi” e o Movimento Cultural Pirão. Tem formação internacional na London Music School, na Inglaterra, em performance vocal.

Em 2015, lançou o disco “Toda Queda Guarda um Susto”, com dez músicas, sendo oito autorais. Em 2016, lançou ”Cinética”, com nove faixas, e emplacou a capa do caderno de cultura do Jornal O Globo, tendo sido foi eleito um dos 50 melhores discos brasileiros de 2016 pelo site internacional Beehype.

No Banzeiro Novo, Anne dá uma nova roupagem à música “Céu de Lurex”, single lançado em agosto de 2020, produzida em parceria com André Oliveira e Victor Xamã, agora numa versão minimalista só com violão e arranjo de vozes.

Dan Stump
Ativista nas causas humanitárias e ambientalistas, na preservação dos rios e igarapés de Manaus, Dan Stump desenvolve seu trabalho musical ligado ao teatro, cinema e demais movimentos artísticos.

Em 2018 lançou os singles “A Mar”e “The Season Song” e em 2019, seu primeiro disco, “Tudo que eu Penso São palavras Perdidas que Tento Organizar”. Possui ainda os singles “Jane”(2019), “Judite”(2019), “Amarela”(2019), “Nvmfda”(2019) e o disco “Palavras Perdidas”, lançado em 2020.

“Farol de Milha” é a música de Dan no Banzeiro Novo. Ela retrata a censura do amor e da arte fazendo um paralelo com repressões sofridas historicamente pelo Brasil na ditadura de 1964. A canção lamenta a dor de se presenciar as mesmas ameaças à liberdade de expressão, mesmo muitos anos depois.

Gabi Farias
Cantora, compositora, instrumentista, Gabi Farias, estudou Música na Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Começou a carreira em 2017, como integrante da Orquestra Puxirum, com a qual ganhou o festival de música universitário Manifest, em 2018.

Em 2019, em carreira solo, lançou seu EP “Vazante”, com quatro faixas. Em 2020 iniciou um trabalho inteiramente virtual para ligar o trabalho de mulheres artistas do cenário musical amazonense com conversas ao vivo em redes sociais.

No Banzeiro Novo, Gabi interpreta “Verá”, uma canção que (re)nasce e através de um arranjo que mistura não só ritmos, mas momentos de calmaria e explosão, buscando incentivar um ouvido que acolhe e permite esperar por novas histórias. A música faz parte do novo trabalho musical da artista, “Enchente”, previsto para ser lançado ainda em 2021.

Jambu
A Banda Jambu surgiu em 2019. Formada por Gabriel Mar (vocalista), Gustavo Costa (baixista), Roberto Freire (guitarrista) e Yasmin Moura (baterista e vocal), o grupo lançou seu primeiro single em 2020. “Qualquer Jeito” mostra forte influência do indie rock australiano e do rock brasileiro.


No projeto Banzeiro Novo, a banda toca “Fora do Padrão”, single de estreia do EP “Sem Tempo Definido”, lançado no início de 2021. A música fala sobre as inseguranças de tomar novas escolhas, buscando na saturação das guitarras, e na intensidade do ritmo, unir a mensagem à sonoridade.

Você pode gostar