EnglishFrenchItalianPortugueseSpanish

CULTURADOAM

Teatro Amazonas será palco da comemoração dos 25 anos do Amazonas Filarmônica e Coral do Amazonas

Na véspera de feriado, segunda-feira (14/11), o teatro recebe concerto especial gratuito para celebrar trajetória dos corpos artísticos do estado

FOTOS: Michael Dantas/Secretaria de Cultura e Economia Criativa

Em homenagem aos 25 anos aos dois corpos artísticos estatais, Amazonas Filarmônica e Coral do Amazonas, um concerto especial, aberto ao público, será levado ao palco do Teatro Amazonas, nesta segunda-feira (14/11), às 20h. No repertório, a ópera, gênero artístico que exige ampla qualidade técnica e vocal, praticado com excelência pelos músicos da orquestra e cantores do coral.

Com duração de 1h10, “Amazonas Filarmônica e Coral do Amazonas – 25 anos” contemplará obras de Giuseppe Verdi e Richard Wagner. A entrada é gratuita.

A escolha da data do espetáculo coincide com a apresentação do primeiro concerto da Amazonas Filarmônica na capital, 14 de novembro de 1997, quando surgia também o Coral do Amazonas. A música erudita passou a fazer parte dos eventos culturais promovidos pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

O secretário da pasta, Marcos Apolo Muniz, enfatiza a relevância dos corpos artísticos no cenário nacional e internacional. “A Amazonas Filarmônica se afirmou como uma das principais orquestras do Brasil e, graças ao Festival Amazonas de Ópera, ganhou visibilidade internacional. A excelência técnica e artística da Filarmônica é um motivo de orgulho para os amazonenses”, elogia o secretário.

“O Coral do Amazonas segue o mesmo escopo. São músicos com uma qualidade técnica que se adaptam aos mais diversos repertórios. O corpo artístico possui uma estrutura profissional completa, que poucos coros do país dispõem “, aponta Apolo.

Direção e regência
O maestro titular e diretor artístico da Amazonas Filarmônica, Luiz Fernando Malheiro, regente da noite dedicada aos 25 anos dos grupos artísticos, assinala que a orquestra é uma das mais versáteis do Brasil.

“A orquestra transita com a mesma facilidade pelo repertório sinfônico, lírico de óperas e pelo repertório de dança, balé clássico. Além de fazer concertos ‘crossover’, passando por músicas de cinema e popular”, afirma Malheiro. Formada por 91 músicos, entre estrangeiros e brasileiros, a Filarmônica tem, aproximadamente, 20 amazonenses.

O Coral do Amazonas, composto por 64 cantores, tem como diretor artístico e maestro titular, Otávio Simões. O coro é pautado por diversas apresentações, ensaios e rotinas de estudo. Segundo Otávio, os cantores participam, constantemente, de cursos de aperfeiçoamento: idiomas – italiano e francês – artes cênicas, expressão corporal, teoria musical, preparação vocal, entre outros.

A versatilidade do grupo também é citada por Simões. “Procuro sempre colocar um repertório diversificado, isso sempre foi uma das características do coro. Além de ópera, eles cantam música popular, erudita, mesmo sem acompanhamento de piano e orquestra. O importante é que eles estejam bem flexíveis a qualquer tipo de repertório”, finaliza o diretor do coral.

Você pode gostar